Tipos de Detectores 2018-07-24T07:09:21+00:00

Tipos de Detectores de Radares

Existem hoje quatro tipos de radares e consequentemente quatro tipos de detectores a saber:

SISTEMA 01 – Frequências eletromagnéticas – as mais usadas e também as mais comuns, normalmente encontradas em todo tipo de detectores de radares.

SISTEMA 02 – Fachos de lasers: Nesse sistema encontram-se os radares mais comercializados em todo o mundo, por ser um sistema mais econômico e mais divulgados.

  • Facho Fino: É um fino facho de laser que para uso em radares, é necessário uma base de apoio bastante precisa e, para isso, se faz necessária uma base com peso alto, de forma que, com o pior tipo de clima não tenha nem um milimetro de variação, tornando -se inviável a aplicação em estradas devido a dificuldade para transporte da base. Já o uso fora dos radares, tem ótima precisão inclusive nas bastantes conhecidas “canetas laser”.
  • Facho Largo: O mais usado em radares e bastante difundida em todo mundo. Esse tipo de radar era usado no Brasil até meados de 2014. O laser de facho largo por varrer até três faixas de rolamento, tem a medição bastante prejudicada, tendo distorções absurdas, daí, a grande quantidade de recursos impetrados.

SISTEMA 03: Misto – Radar com frequência eletromagnética + laser facho fino + laser facho largo.

SISTEMA 04 – Laser Pulsado: Tecnologia de ponta usada em radares bastante sofisticados, de fácil manuseio e precisão. Essa tecnologia começou a ser usada no Brasil em junho/2014 em fase experimental e foi introduzida e legalizada em setembro do mesmo ano, conforme Resolução numero 501 do Contran de 23 de setembro de 2014.

Fabricantes

Os maiores fabricantes de detectores de radares já introduziram essa modalidade em seus aparelhos. A pioneira Early Warning empresa pouco conhecida por aqui, e também a Cobra Eletronics, porém é pouco ou quase nada vendidos para pessoas físicas devido ao alto custo de produção tecnológica, sendo que o aparelho designe dos aparelhos são os mesmos, sendo fisicamente idênticos e não são divulgados ao consumidor, tarefa essa exclusiva de revendedores dos produtos.

Por não ser interessante devido ao alto custo para criação de novos designes dos aparelhos, e também a pouca procura, os fabricantes simplesmente omitem essa informação nos produtos, levando o consumidor ao erro, comprando aparelhos de frequências eletromagnéticas e/ou lasers de fachos.

Talvez seja esse tipo de omissão ao consumidor final, que causa tamanha degradação dos aparelhos detectores de radares no Brasil.